resgate mensagens

fevereiro 26, 2014


Cultura de Esponjas ou Filtros – por Maxwell Fonseca

novembro 16, 2009

Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR, e o povo que ele escolheu para sua herançaSl 33;12

Inicialmente quero perguntar o que você entende por cultura? Afinal, o que é cultura? Muitos pensam logo em ARTE – música, dança, teatro…  e falar de cultura é quase sinônimo de produção artística no Brasil, mas não é só isto!

O termo cultura está originalmente ligado a – “plantação” – daí o termo agri-cultura (cultivar a terra). Quando os antropólogos adotaram o termo para explicar o comportamento social, associavam a cultura ao que se cultiva no meio da sociedade. São os fenômenos sociais de uma certa região – território – num dado período – tempo. Logo, cultura é muito mais que as manifestações artísticas – tem a ver com o comportamento e a identidade de um povo – elementos presentes na prática e nos hábitos de um povo que os assemelha ou os diferencia. As coisas que “brotam” naquele lugar. É cultural vestir-se de uma forma; dançar de uma forma; falar de uma forma; viver em casas ou tendas… a cultura de um povo pode implicar em ter ou não brincos, calças, saias, cabelos pintados, etc e etc…

“Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor “ provoca-nos a pensar em que maravilhosa cultura é esta de um povo… escolher ser governado por Deus. Imaginem quantas coisas diferentes este povo faz! Como brotam coisas lindas no meio deles! O manifestar do amor, do perdão, do cuidado do próximo, do viver em unidade, e etc. Em outras palavras “feliz é a nação cujo Deus é o Senhor “ é uma maioria dizendo:  “eu e minha casa seguiremos ao Senhor” – Josué 24;15. Quer dizer que TODOS em um dado Grupo, Local e Tempo declaram abertamente que preferem seguir a Deus e o fazem.  UAU!!! Quantas implicações comportamentais marcadas nesse povo!

Mas na prática, a maioria dos cristãos da atualidade mal percebem a diferença cultural da sociedade em que vivemos (em conflito com a cultura cristã essencial). Parece evidente que SOMOS bem mais influenciados culturalmente, que influenciamos a sociedade ao nosso redor. Somos como ESPONJAS – repassando o que recebemos. Afinal, vivemos uma sociedade capitalista, democrática e egocentrada, radicalmente diferente da maravilhosa proposta da graça a qual somos convidados a viver. Infelizmente, nossas práticas não têm tido lá grandes pretensões de ser diferente da NORMALIDADE SOCIAL que nos envolve. Por isto somos crentes brasileiros, capitalistas, democráticos, cidadãos e “quase” protestantes.

Precisamos perceber o CONFLITO CULTURAL entre o olho-por-olho e o perdão… entre o acumular capital para si, e o dedicar-se ao próximo… entre a democrática voz do povo e a real voz de Deus. São muitos os exemplos que surgem quando começamos a ver as diferenças culturais.

Penso que Deus quer fazer de nós como FILTROS que recebem algo de uma forma e transformam isto em algo melhor. Pessoas que transformam o ambiente a seu redor. Pessoas que refletem a glória de Deus em seu interior. E da mesma forma que Moisés descia do monte com seu rosto brilhando… também nós devemos nos esforçar para trazer as maravilhas do Senhor para uma pós-modernidade tão obscurecida com o egoísmo humano.

O desafio é este: Ame mais! Sorria com os que estão felizes e chore com os que estão sofrendo. Espere o momento certo para dar opiniões… tenha sabedoria antes de exortar, corrigir, tratar de assuntos delicados. Deus vai dar a oportunidade certa. Lembre que o Cristianismo não é um discurso – cristianismo é seu relacionamento com Deus. O Evangelho não é uma mensagem-retórica que as pessoas precisam concordar – é o próprio Jesus que se encontra conosco, com nossos conflitos, virtudes e dilemas. Lembre-se que AMAR não é uma frase de efeito e sim uma prática daqueles que tem AMOR no coração – que têm algo de DEUS no seu coração.

Que a minha e sua cultura possa fazer brotar por onde passamos muito mais daquilo que Deus semeou em nós.


Mergulhando no Livro de ATOS – por Maxwell Fonseca

setembro 27, 2009

Resumo dos cap 01 a 07 – mensagem do culto dia 27.09.09.

O livro de Atos retrata a comunidade cristã em seus primeiros passos – Antes, sabemos que Jesus caminhou durante 3 anos e meio com os discípulos e quando foi elevado ao céu, começou uma nova experiência comunitária. Como conviver em comunidade tendo em nós a marca do evangelho? Essa é uma grande questão, um grande desafio!

Antes de propor respostas, metas e modelos, precisamos entender o que este livro traz de lições. Ele é como um FAROL, referencial, para nossos passo e reflexões sobre a essência do cristianismo.

Neste sentido, o livro de atos trás alguns detalhes impressionantes:

Capitulo 1 – Jesus é elevado aos céus (1v6) e a partir desse momento  a “REUNIÃO dos crentes” começa (1v13) – É evidente como o texto fala que eles estavam fisicamente juntos.

No seu primeiro discurso, Pedro (1v15) referia-se claramente ao cumprimento profético do sacrifício do Cordeiro de Deus e isto teve impacto sobre toda Jerusalém. O QUE NOS LEVA A PENSAR QUE NOSSA MENSAGEM DEVE SEMPRE TER EFEITO PRA ALÉM DAS 4 PAREDES.

Já o primeiro “Ato Ministerial” de Pedro (1v21) foi insignificante e insipiente. “Precisamos nomear o 12º apóstolo!!!” Matias é um nome que não teve expressividade alguma na igreja primitiva. Nada relevante se relata mais dele. Pelo contrário Paulo (chamado e constituído por Deus) se apresenta como apostolo dos gentios em seus livros… e de fato FAZ o que realmente tinha de ser feito. Só destes primeiros versículos, podemos tirar a lição que muitas de nossas “institucionalizações”, “títulos” e “promoções” são meramente PRAXE. Atos de “conselho”, passivos a erro e de efeito simplesmente político – coisa muito vista nas denominações atualmente.

Nós –cristãos – só acertamos mesmo, enquanto comunidade, se entendemos e participamos do que DEUS QUER FAZER, FALAR  e TRANSFORMAR.

Capítulo 2 – PENTECOSTES

Jesus, quando elevado ao céu, deixou a promessa de que o Espírito Santo viria e manifestações de PODER iriam surpreendê-los na experiência comunitária. Então veio o grande evento em pentecostes. Festa judaica que reunia incontáveis povos de muitas regiões e línguas. O “fenômeno” em pentecostes era entendido, cada um em sua língua, Logo, Pentecostes (2v2), é como o inverso de BABEL(gn11;9). Em Babel, Deus separou as línguas e povos por conta da prepotência humana. E em Pentecostes, Deus nos aproxima, faz que todos tenhamos algo em comum na mensagem o evangelho. Muita gente se atém à parte “mística e poderosa” de Pentecostes pouca gente se apercebe do paradoxo da torre invertida. O maior é quem mais serve. O maior é o menor. É mudar de pirâmide/\ para quilha do barco\/. Onde o principal é a pedra angular. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo – 1cor3;11. Este paradoxo da inversão e poder x serviço na igreja, deveria ser alvo de muitas reflexões e mudanças, para experiência cristã comunitária.

O segundo discurso de Pedro (2v14), é uma resposta à absurda crítica de alguns ao evento de Pentecostes. Pedro se pronuncia pra responder a acusação de que estavam todos bêbados naquele lugar. Sua resposta resulta em 3 mil conversões. Imagine que grande desafio, começar uma congregação de 3 mil neófitos… E estas 3 mil pessoas, mais os discípulos, começaram de fato a experiência comunitária que devemos observar em ATOS. 2v42&46
42  E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. (…)
46  Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração

Capitulo 3 – Neste capítulo voltamos a falar de PODER.

De fato este é o tema favorito pra a maioria. Curas, milagres, a ação direta de Deus no meio dos que crêem. DE FATO DEUS FAZ. Aleluia.  Mas temos um detalhe muito importante aqui, quando Paulo cura um couxo e diz: 3v12&13

12  À vista disto, Pedro se dirigiu ao povo, dizendo: Israelitas, por que vos maravilhais disto ou por que fitais os olhos em nós como se pelo nosso próprio poder ou piedade o tivéssemos feito andar?
13  O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Servo Jesus, a quem vós traístes e negastes perante Pilatos, quando este havia decidido soltá-lo.

A atitude de pedro é enfática  A GLÓRIA PERTENDE A DEUS… este exemplo é imprescindível diante da tendência atual de valorizar ministérios, nomes, homens renomados no meio da igreja. Pedro preocupa-se em colocar-se no seu ligar de humilde servo. E o lugar de Deus como digno de toda honra e glória.

E assim começa o terceiro discurso de Pedro 3v19 ele é enfático:
19  Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados,

E qual o resultado disso: Mais 5 mil pessoas foram convertidas (yess!!!)
mas e Pedro? – Pedro foi preso – na colônia penal ANIBAL BRUNO* (nome da prisão masculina do Recife)…. mas rapaz… pastor fulano preso? E é isto que vemos no próximo capítulo – a perseguição.

Capitulo 4 – o outro lado da moeda – a PERSEGUIÇÃO.
O detalhe da perseguição, lembra-nos do lado subversivo que há em levar pessoas a conhecerem a verdade. Isto comumente incomoda os que se valem da escravidão humana. E até mesmo dos suposto “poder religioso”. Pessoas que preferem colocar-se como “portadores do divino”. E por outro lado a política e até a economia / mercado. Como no caso dos ourives da deusa diana.

Resumindo, pedro, preso, teve que falar mais! E para responder às questões, acabou PREGANDO MAIS.

E o resultado disto, vc´s já podem imaginar (4v18-21) – mais simpatizantes da mensagem.
Chamando-os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem, nem ensinassem em o nome de Jesus. 19  Mas Pedro e João lhes responderam: Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus;  20  pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos. 21  Depois, ameaçando-os mais ainda, os soltaram, não tendo achado como os castigar, por causa do povo, porque todos glorificavam a Deus pelo que acontecera.

Uma vez soltos, a experiência comunitária segue (4v32-35):

32  Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum. 33  Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. 34  Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes 35  e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade.

No Capítulo 7 – é emocionante ver que Estevam dá um “banho de bíblia” no Sinédrio. Os doutrores da lei ficam “de cabelo em pé” com as declarações exatas, pontuais e totalmente pautadas nas escrituras, falando sobre o Messias. E o resultado de mais esta perseguição e morte de Estevam… e aqui, não foram 3 mil… ou 5 mil… pessoas convertidas. Mas certamente o primeiro passo para a conversão de um grande intelectual, influente, renomado… Saulo de Tarso.

Não sei como vc´s se sentem em relação a esta experiência comunitária. Mas eu tenho certeza de que não é para a conveniência que a igreja existe. Não podemos pensar que nossa missão é ser um espaço legal, que agrada a tudo e todos… Precisamos entender como devemos viver para agradar a Deus. Outra coisa evidente, é que não é de números que vivemos. Um discurso acertado pode trazer centenas de vidas… ou uma vida… e glória a Deus por isto.

Hoje temos opção de ser como um Matias na multidão… ou fazer nosso papel e iniciar uma reação em cadeia. A revolução que só o evangelho pode provocar – em nós e no mundo. Nos relacionamentos e na comunidade. Nas palavras impactantes do Reino ou nos silenciosos gestos de amor. Em outras palavras, de nossa congregação, podemos fazer diferença na vida de muitas pessoas ao nosso redor, no nosso bairro.

Como não posso deixar de ilustrar isto separei alguns versículos:

21v10  Demorando-nos ali(em Cesareia) alguns dias, desceu da Judéia um profeta chamado Ágabo;  11  e, vindo ter conosco, tomando o cinto de Paulo, ligando com ele os próprios pés e mãos, declarou: Isto diz o Espírito Santo: Assim os judeus, em Jerusalém, farão ao dono deste cinto e o entregarão nas mãos dos gentios. 12 Quando ouvimos estas palavras, tanto nós como os daquele lugar, rogamos a Paulo que não subisse a Jerusalém. 13 Então, ele respondeu: Que fazeis chorando e quebrantando-me o coração? Pois estou pronto não só para ser preso, mas até para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus.

Que Deus nos ajude a ter a inspiração, motivação e transpiração deste Paulo.

Shalom,

Maxwell Fonseca
Comunidadedoxa.com


Andrea Vargas na Comunidade Doxa

junho 14, 2009


Andrea Vargas/Avalanche Missões urbanas,
este domingo 1830hrs na Comunidade Doxa.
Uma referência no debate da sexualidade na atualidade.
Em recife para as palestras do SexDay.

clique aqui, veja as fotos!!!

Não perca!


Mensagens em Audio

maio 5, 2009


PrPedro Albuquerque – Fp3 – Parte1, Parte2.

Louvor



PrPedro Albuquerque – O Amor – Parte1, Parte2.

Louvor com Marcio Lemos



PrPedro Albuquerque – Ansiedade – Parte1, Parte2, Parte3


  Amar é – Maxwell Fonseca 10.05.09. Parte1 / Parte 2
Louvor com Daniel Barros



O Reino – Marcos G – 03/05/09 parte1parte 2


Lições do NED

abril 27, 2009

Faça o download das mensagens do Núcleo de Ensino Doxa

Lição 01- as perdas
Lição 02- perdão
Lição 03 – perdoando e liberando cura ao outro
Lição 04 – perdão perfeito
…novas lições toda semana!

.


Refletindo: O que é o reino?

abril 13, 2009

 

O que é o Reino?

Essa tem sido uma pergunta que temos feito e respondido muitas vezes ao longo desse pouco mais de um ano que temos andado juntos.

O reino não é espaço, o reino nao se delimita por espaços religiosos e muito menos pelas fronteiras das ambicões dos corações dos humanos, sim! o reino que é de Deus é livre como vento, ele não está lá, nem está aqui, mais está em todo e qualquer individuo que invocar o nome de Jesus de Nazaré, crendo com o coração e confessando com os labios que Ele – JESUS – É Senhor de tudo e de todos, e que fora Dele ninguem alcança sentido na existência.
Pronto! Ali no espaço-ser-coração-humano o reino chegou! Com toda plenitude e força, como uma “tsunami” de GRAÇA E AMOR, refazendo os espaços antes devastados pelos desencontros existencias, transformando desertos em fontes cristalinas, devolvendo a humanidade e pacificando o coração…Isso é o reino, é mais que isso, é o reino agindo!
Ora, compreender isso é compreender nossa vocação! Entender esses processos é vislumbrar com clareza nosso chamado, então pergunto: qual é a vocação e o chamado que são produzidos por este entendimento?
A vocação do anuncio deste reino, o chamado para partilhar o reino a todos os homens! Essa é a nossa vocação… falar-viver o reino, para além das fronteiras das vielas instituicionais, com toda intensidade da vida e com toda entrega do ser!
Escrevo-orando essas palavras para que o DEUS DO REINO renove em mim e em vc o desejo por essa causa, mais que isso, que seja renovado em nós o amor, sim, pq nesse reino o amor é a lei que rege tudo e todos,
Escrevo-orando para que tenhamos a disposicão oxigenada mesmo em meio a tantos outros enfrentamentos diarios,
Escrevo-orando para que não nos percamos no caminho e nem nos desfaleçamos, mas, se assim acontecer que um ajude o outro e o outro a outro, e DEUS a todos e sejamos fortalecidos no amor comparatilhado,

Escrevo-orando com o coração cheio de gratidão por sua vida! Obrigado e um grande beijo a todos!

Pastor Pedro Albuquerque
Comunidade Cristã DOXA